O tamanho e a localização da propriedade são fatores determinantes para investidores do mercado imobiliário fazerem um bom negócio

Comprar um imóvel em um leilão para em seguida alugá-lo é uma ótima opção de investimento a longo prazo. E isso você provavelmente já sabe: em leilões, é possível comprar uma casa ou um apartamento por um preço bem inferior ao do valor de mercado – em geral, cerca de 40% abaixo.

No entanto, há alguns pontos que devem ser considerados para que, de fato, você faça o melhor negócio.

 

Tamanho do imóvel

Atente-se ao tamanho do imóvel: pesquisas mostram, por exemplo, que imóveis menores são mais fáceis de serem alugados do que casarões e apartamentos grandes. Segundo o manual de locação do Secovi-SP, imóveis de três dormitórios levam em torno de um mês a mais para serem locados, comparados aos de um ou dois quartos.

Já é um bom começo para você iniciar a busca! No entanto, não é só o tamanho da propriedade que pode influenciar na hora em que você quer alugar rápido.

 

Imóvel mais rentável

Nem sempre o bairro mais valorizado, que tem o metro quadrado mais caro, é o que vai oferecer maior rentabilidade.

Um levantamento feito pela área de classificados do Mercado Livre mostrou que em imóveis no bairro de Indianópolis, na zona sul de São Paulo, o aluguel rende ao proprietário 9,6% ao ano em média, contra apenas 3,8% de Higienópolis, uma das áreas mais valorizadas de São Paulo.

Segundo Luis Paulo Santos, diretor de Classificados Brasil do Mercado Livre, isso se dá devido à localização estratégica de Indianópolis, um bairro que fica perto do aeroporto de Congonhas e em uma região que não tem muitos prédios – o que joga a favor no quesito “oferta e procura”. 

Segundo o mesmo levantamento, os bairros de Jardim Boa Vista, Capão Redondo, Panamby e Morumbi também estão entre os de maior rentabilidade em São Paulo. Capão Redondo, na periferia, é um exemplo de que o bairro não precisa ter o metro quadrado mais caro para ser rentável.

O mesmo acontece no Rio de Janeiro, onde o bairro Vargem Pequena, na zona oeste, tem rentabilidade média de 6,4%, contra apenas 3,1% do Leblon, uma das regiões mais cobiçadas da capital fluminense.

 

A fórmula perfeita

O imóvel mais indicado para o investidor comprar e alugar teria que reunir, portanto, essa série de fatores descritos acima.

Resumindo, primeiro você deve saber que, quanto maior o imóvel, geralmente é maior o tempo de vacância (imóvel vazio).

Na hora de bater o martelo, é preciso também levar em conta as regiões valorizadas, onde normalmente as propriedades são alugadas com mais rapidez.

Verificar os extras de uma propriedade, como os custos com IPTU e condomínio, também é importante para que o valor final cobrado pelo aluguel não seja exorbitante.

Colocando em prática essas dicas da forma mais equilibrada possível, você evita ficar com o imóvel “encalhado” e, certamente, vai fazer o melhor investimento.

 

Confira as oportunidades da Lut Gestora de Leilões.