Neste momento, comprar um imóvel em leilão continua sendo o melhor investimento.

A queda nos juros, que nestes últimos meses de 2019 bateram o recorde de menor taxa, fez com que os imóveis entrassem novamente no radar dos investidores. Em outras palavras, o terceiro corte consecutivo de 0,5% na SELIC – a taxa básica reguladora, que derrubou o juro anual de 2019 para 4,5% –, fez com que a compra de imóveis com a intenção de alugá-lo em seguida se tornasse uma excelente opção de negócio para faturar mais.

Segundo os especialistas, o potencial que os imóveis têm para gerar renda mensal está de volta ao jogo. Por isso, quem busca um investimento a curto prazo para contar com uma renda fixa extra, pode encontrá-lo na locação – revendas costumam ser processos demorados e mais complicados.

Mas como comprar um imóvel em um momento difícil como o atual, em que a economia dá apenas seus primeiros sinais de reaquecimento? Pelo menos uma das respostas é fácil: pagando bem menos pelo imóvel em um leilão.

Compra de imóvel em leilão: o melhor negócio

Atualmente, o leilão de imóveis tem atraído pessoas que procuram por um investimento maior e com retorno a curto prazo. Em leilões, o comprador adquire um imóvel por um preço, em média, 40% abaixo do valor de mercado – às vezes, o desconto chega a 70%.

Se mesmo assim você não tiver o capital suficiente para investir em um imóvel de uma só vez, há saídas como os fundos de investimento imobiliário, em que você compra cotas que significam frações da propriedade.

Na hora de comprar um imóvel, seja ou não em um leilão, é importante se atentar a alguns detalhes para fazer a coisa certa.

Fique esperto

  1. Onde comprar

Localização é importante: veja qual é o perfil do imóvel e a relação dele com a vizinhança.

Por exemplo, o aluguel de lofts e apartamentos menores funciona bem ao redor de universidades, onde a demanda de alunos de outras cidades que querem morar naquele bairro costuma ser grande.

  1. Valor do condomínio

Deixar um imóvel próprio alugado se mostrou um investimento bem mais rentável do que aplicar na poupança, por exemplo. Mesmo assim, os valores de variáveis como condomínio e IPTU merecem atenção.

Se eles forem muito altos, você precisará baixar o valor do aluguel para conseguir encontrar um inquilino.

  1. De olho na concorrência

Ao comprar um apartamento em um bairro onde há vários prédios novos, você provavelmente terá que lidar com a concorrência: a oferta de aluguéis será grande, e você terá que oferecer desconto para não ficar com o dinheiro preso.

O ideal é se manter a par do reajuste dos aluguéis naquela região.

Segundo o índice FipeZap, nos últimos 12 meses o valor da locação residencial teve alta de 4,11% – um valor acima da inflação anual, que foi de 2,89% (fonte: IBEGE).

Então comece a procurar pelo seu imóvel em leilões e faça o melhor investimento possível.

Confira as oportunidades da Lut Gestora de Leilões.